sábado, 30 de agosto de 2014

BRINCADEIRAS DO BRASIL: o resgate das brincadeiras populares e suas variações regionais.

“A criança que não brinca não é feliz, 
ao adulto que quando criança não brincou,
falta-lhe um pedaço no coração”.  
Ivan Cruz


Considerando que desde que nascem as crianças participam de diversas práticas sociais e que o brincar está (ou deveria estar) inserido em seu cotidiano, dentro e fora da escola, o trabalho com brincadeiras apresenta-se como instrumento facilitador da aprendizagem para as crianças na área de Ciências Sociais. Resgatar brincadeiras populares reconhecendo que há jeitos diferentes de brincar a depender da região onde a pessoa aprendeu ou viveu a infância, foi o eixo central do projeto. 

Contexto

O projeto foi desenvolido com crianças de um Grupo 4 com duração semestral. Este estudo possibilitou explorar as brincadeiras já conhecidas e suas diferentes variações de regras, nomes e músicas em diversas regiões do Brasil. 
Milton da Costa e Sergio Bastos

Sensibilização

Apresentação de diferentes imagens de crianças brincando e questionamento: "Que brincadeira é essa?" (Já inserir variações para provocar hipóteses)

*Durante o projeto apresentei artistas que representaram brincadeiras em suas obras, esse repertório também contribuiu no momento de produção de desenhos, além de descobrirem que há brincadeiras muito antigas.


Como foi o projeto...

De forma lúdica o grupo se envolveu brincando em um projeto de pesquisa, utilizando procedimentos necessários para tal: ler imagens, consultar livros e internet, ouvir cd´s de aúdio, assistir vídeos e ter um primeiro contato com a produção de fichas com as explicações de algumas brincadeiras  - as crianças ditam e a professora é a escriba. Também fez parte da metodologia o levantamento prévio em relação às brincadeiras que conhecem e a produção de uma lista para deixar no mural como fonte de consulta. 


Apresentei o mapa do Brasil para localização de em quais estados estão as variações e  a comunidade escolar (pais e funcionários) foi convidada para ensinar uma variação de brincadeira vivida na sua própria infância, garantindo uma variedade de interlocutores. Assim, as crianças tiveram a oportunidade de estabelecer novas formas de relação e de contato com outras expressões culturais, cruzar hipóteses individuais e coletivas, além de ampliar e compor um repertório de conhecimentos comuns ao grupo que pertencem. 

É um projeto muito prazeroso, as crianças aprendem muitas coisas e especialmente brincam demais: brincam para aprender, brincam para lembrar as regras, brincam para divertir-se, brincam para ensinar, brincam, brinvam e brincam!

Pieter Bruegel

Francisco Goya

Cândido Portinari

Finalização do projeto: Mostra de trabalhos




Também produzimos um vídeo, mas que não é possível publicar aqui.

Alguns materiais que me ajudaram com esse projeto:








Esta é uma ideia de projeto que trabalhei há algum tempo na Escola Santi e foi apresentada no ICLOC de 2012.