terça-feira, 27 de outubro de 2015

DESCOBRINDO TINTAS

“O vermelho vivo atrai e irrita o olhar, como chama que o homem contempla irresistivelmente. O amarelo limão berrante, depois de um certo tempo, fere o olho, com o som agudo de um clarim perfura os tímpanos . O olho pisca, não consegue suportar e vai mergulhar nas calmas profundezas do azul ou do verde”. Kandinsky




Descobrir diferentes tintas pode ser um trabalho desenvolvido com crianças de diversas faixas etárias. Possibilitar a exploração, a manipulação,  as formas de preparar as tintas, conhecer os elementos naturais, as texturas, os cheiros e suas características; favorece o desenvolvimento sensorial, da percepção e estimula a criatividade. Dependendo do objetivo é possível integrar o trabalho com as áreas do conhecimento e ampliar os saberes sobre a natureza, os povos etc.

Um relato de trabalho com o Grupo 4...

Nessa proposta as crianças tiveram a oportunidade de preparar as próprias tintas, conhecer um pouco da história dos pigmentos, utilizar as misturas preparadas para fazer pinturas e desenhos, explorar novos materiais, instrumentos e suportes, além de participar de apreciações.

As crianças conhecem uma limitada quantidade de tintas que podem ser utilizadas para pintura em suas produções, normalmente, pelo uso na escola conhecem a guache, a anilina e a aquarela. 

Com o preparo de tintas caseiras e naturais, elas puderam fazer relações e ampliar o conhecimento que já possuíam. Foi possível construir novas ideias, manipular, explorar e descobrir possibilidades como: alterar a textura da tinta e utilizar elementos da natureza para prepará-las.

Objetivos
  • ampliar o conhecimento de mundo (manipular diferentes objetos e materiais, explorar suas características, propriedades e possibilidades de manuseio, além de entrar em contato com formas diversas de expressão artística);
  • utilizar diversos materiais gráficos e plásticos sobre diferentes superfícies para ampliar suas possibilidades de expressão e comunicação;
  • conhecer novas tintas naturais e industrializadas;
  • explorar e aprofundar as possibilidades oferecidas pelos diversos materiais, instrumentos e suportes.

Algumas ideias de atividades:

1. Roda de conversa: Do que são feitas as tintas? Vocês já pintaram com alguma tinta diferente? Como poderíamos preparar uma tinta? 

Você sabia? Contar um pouco sobre o uso das tintas naturais antigamente. E que há diferenças entre a tinta feita na fábrica e estas que preparamos em casa ou na escola.

Colorir areia com anilina e produzir um desenho com cola.


2. Tinta de beterraba:

Preparar um "suco de beterraba" com o grupo e usar para pintar com pincel o “fundo” de uma cartolina de um determinado tamanho, esperar secar e depois desenhar por cima com caneta preta.


 3. Tinta com terra:

Misturar terra do jardim, água e cola.

Fazer uma pintura no canson.



4. Tinta com café:

Fazer café com água quente e pó, coar com coador de pano com o grupo.

Pintar com algodão preso em um palito o “fundo” de um papel branco de um determinado tamanho, esperar secar e depois desenhar por cima com caneta preta.





5. Tinta de urucum (índios):

Apreciar pinturas indígenas (padronagem) – depois de pronta a tinta, produzir uma pintura no corpo de um colega (braços, pernas etc).

Água, urucum e pilão. Socar a semente.

Para usar – Uma criança pinta a outra, assim como os índios (pintura corporal)

6. Nanquim

Usar nanquim preto e/ou colorido e fazer uma pintura com palito de churrasco e/ou cotonete como pincel.





7. Variações de tinta guache para exploração:


Relevo- acrescentar farinha a tinta guache.


Aquarela- acrescentar água a guache.

Áspera- acrescentar areia a guache.

Gelatinosa - acrescentar sagu




8. Tinta de espinafre:

Bater a água e o espinafre no liquidificador, depois coar.

Pintar com esponjas o “fundo” de uma cartolina de um determinado tamanho, esperar secar e depois desenhar por cima com caneta preta.





9. Tinta Têmpera (Volpi):

Apreciar obras de artistas que trabalhavam com essa tinta e contar sobre o preparo da mesma. Preparar junto com as crianças e depois produzir uma pintura no papel. 
Ovo - uma gema por criança
Pigmento 
Água 
Vinagre 

Separar a clara da gema e em seguida, com todo cuidado, retirar a película que envolve a gema; acrescentar a água, duas gotinhas de óleo de cravo (ou o vinagre) e mexa com uma colher.
Você pode separar essa base em potinhos e em cada um acrescentar o pigmento da cor desejada.

OBS: o tom desejado depende do tipo de trabalho que deseja fazer e da quantidade de água e pigmento usado: mais água e menos pigmento, fica aquarelado.

10. Tinta para pintura a dedo:

Material: 
• 1 litro de água; 
• 1 xícara de chá de farinha ou maizena;
• 3 colheres de sopa de vinagre; anilina ou guache (diversas cores) 

Como fazer:

Misture bem a farinha e a água e leve ao fogo baixo, mexendo sempre, até conseguir um mingau uniforme, não muito grosso. 
Deixe esfriar e junte o vinagre. Divida a massa em recipientes e acrescente a anilina ou o guache (uma cor em cada).

Pintura coletiva no plástico bolha. 

11. Tinta de carvão:

Pó de carvão, água e cola.
Pintura com pincel fino no papel de partitura.




12. Tinta de morango:

Morango, água e cola ou apenas o "suco".

Pingar com o conta-gotas muitas vezes o “fundo” de uma sulfite, esperar secar e depois desenhar por cima com caneta preta.

13. Tinta de amido de milho perfumada:

· Guache líquido

· Amido de milho

· Xícara para medir

· Colher e tigela

Misturar uma xícara (240 ml) de guache líquida e uma xícara (125 g) de amido de milho em uma tigela para fazer uma tinta grossa, que grude bem no papel. Acrescentar na tinta extrato de hortelã, canela e baunilha; um cada pote diferente.

Fazer pintura coletiva na talagarça com papel kraft por baixo.



*Essas foram algumas das atividades desenvolvidas em meio à tantas possibilidades.