domingo, 28 de fevereiro de 2016

LITERATURA INFANTIL: indicações do mês de fevereiro

Autor e ilustrador: Anthony Browne
Tradução: Clarice Duque Estrada
Editora: Pequena Zahar

Texto e ilustrações incríveis! O autor é conhecido por muitas crianças e adultos, essa obra explora a mudança na vida de uma criança.


O personagem Gregório fica intrigado com o aviso do pai ao dizer que as coisas iam mudar quando voltasse com a mamãe. O menino espera e começa a imaginar coisas estranhas entre o que era habitual na casa. O que estava acontecendo?


As crianças vão se divertir com o que Gregório vê pela casa até seus pais voltarem com o que realmente ia mudar sua vida.


Boa leitura!


Autores: Fabiana Werneck Barcinski e Rodrigo Lacerda
Ilustração: Guazzelli
Editora: Pequena Zahar

Um livro maravilhoso para as crianças conhecerem uma campeã olímpica e aprenderem mais sobre o vôlei.

Nessa obra é possível apreciar a história da atleta desde criança, seu percurso com desafios e conquistas. As páginas mesclam ilustrações e fotos, no final há uma linha do tempo da vida de Jackie, a relações de outros atletas brasileiros nos jogos olímpicos, as medalhas conquistadas, as regras do jogo de vôlei de quadra e de areia.


Aproveite o contexto dos jogos olímpicos 2016 e apresente essa história para as crianças.



Boa aventura!


Autor e ilustrador: JOÃOCARÉ
Editora: WMF Martins Fontes

Que tal aprender yoga imitando animais?

Já pratiquei na escola com as crianças, fez parte de um projeto sobre corpo humano e elas curtiram muito, inclusive algumas já sabiam certas posições devido a prática dos pais. Era um momento tranquilo, de concentração, alongamento e respiração.

O livro começa com o autor fazendo uma apresentação, contando um pouco sua trajetória até escrever esse livro. Depois, a cada página o autor ensina como fazer a posição, o texto mexe com a imaginação das crianças em relação ao animal da postura e também fornece um breve comentário sobre a espécie. A ilustração complementa esse imaginário e diverte.

Boa prática!


Autor: Luis Dolhnikoff
Ilustração: Guilherme Zamoner
Editora: QUATROCANTOS

Poemas inspirados por uma criança curiosa pelas palavras. As ilustrações são bem singulares: pequenas, grandes, cheias de detalhes e padrões, objetos com olhos e bocas, cores de tom pastel, movimentação aparente.

Um ser grandalhão cheio de trecos, objetos, palavras e uma menina.
Elvira tem muitas perguntas e tenta entender o nome das coisas medindo as palavras e vai percebendo a grande confusão ou não, que esse mundo pode ser.

É bem interessante a forma como a sequência de poemas foi colocada, quase como uma história...

Uma leitura divertida e questionadora!

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

LUZ E SOMBRA: experiências, hipóteses, descobertas e mais perguntas.

A primeira vez que trabalhei com esse tema tive como referência o livro "Luz, Cores e Sombras", da Abramundo. Depois conheci o trabalho desenvolvido nas escolas de Reggio Emilia e tentei unir as duas práticas desenvolvendo um projeto com crianças de 6 anos do período complementar (FI) em 2014.

Desde bem pequena, quando a criança vê pela primeira vez sua própria sombra, ela já começa a investigar o que é aquilo que a persegue e até assusta, que copia seus movimentos, uma curiosidade natural das próprias observações. Existem vários vídeos que mostram esse processo, confira o link https://www.youtube.com/watch?v=G4aTw-zEJZ8 . E assim a curiosidade, em relação a esse fenômeno quase mágico, continua durante toda educação infantil e início do fundamental I.

A intenção desse trabalho é questionar, investigar, experimentar e brincar. Trocar conhecimento e observar para tentar criar hipóteses. Mais do que respostas, esse projeto provoca mais perguntas.

Trabalhei com um conteúdo bem diverso para que as crianças percebessem: como as sombras se formam, como a luz interage com os objetos e materiais, qual é a diferença da luz natural e da luz artificial; que as cores, sombras e reflexos podem se alterar dependendo da interação dos materiais ou da luz; que há objetos que enxergamos no escuro outros apenas com luz, que diferentes materiais provocam diferentes resultados, que existe sombra mais ou menos intensa, que alguns componentes podem interferir na projeção da sombra, que há diferenças entre mistura de cores com a luz e com a tinta, quais os fenômenos naturais ligados a luz...entrando em contato com conhecimentos científicos, aprendendo a nomear algumas características e procedimentos das experiências e seus materiais.

O livro Crianças, Espaços, Relações - como projetar ambientes para educação infantil (a minha edição é em espanhol, p. 46 a 58); conta um pouco sobre a importância do trabalho com a luz na abordagem Reggiana.

O trabalho com a luz comtempla três dimensões perceptivas: a visibilidade, a imagem estética e a sensação da passagem do tempo.
A luz também nos remete as emoções: euforia, medo, indiferença etc. Dependendo de como o ambiente é iluminado.
Tanto a luz artificial quanto a natural, são importantes e distintas. Uma nos diz sobre o dia, o tempo, a outra é facilmente manipulada e transformada, assim as crianças podem produzir novas configurações estéticas.
É possível trabalhar com a variação de tipos de sombras a depender da fonte de luz, da disposição dos objetos e das características do ambiente: cores quentes e frias, monocromática ou policromática, composições de acordo com a posição da fonte de luz, geometrias e texturas de acordo com o que o ambiente interno sugere, translúcidas, homogêneas, desordenadas, modelada etc.

As crianças se mostraram muito felizes nessa exploração. Elas tiveram a oportunidade de conferir, brincar, criar e aprender sobre algumas relações entre luz e sombra.

Trabalharam com teatro de sombra, lanterna, pega-pega sombra, desenho da sombra no chão, experiências com as cores e muitas outras propostas não contempladas aqui.


Fotos de algumas propostas com o retroprojetor...